• EditoraMatarazzo05Banner0000.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0003.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0004.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0005.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0006.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0007.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0010.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0011.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0012.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0013.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0018.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0019.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0021.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0022.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0023.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0090.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0100.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0110.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0120.png
  • EditoraMatarazzo05Banner0130.png
 
       
   

AUTOR: ROQUE RICCIARDI (PARAGUASSÚ)
ORGANIZADORA: NEIDE LOPES CIARLARIELLO


Este livro é uma pequena parte da vida boêmia do cantor, compositor, poeta e seresteiro PARAGUASÚ, cujo slogan era “O Cantor das Noites Enluaradas”, experiências essas vividas na cidade de São Paulo, com destaque para o bairro do Brás, antigo reduto de imigrantes italianos.
Paraguassú teve seu apogeu na década de 1920, neste livro relata parte dessas vivências boêmias, cabendo a sua neta, Neide Lopes Ciarlariello apenas compilar essas anotações que ele deixou manuscritas em simples cadernos espirais. Ali ele conta como foi a boêmia do início do século, com relatos que vão de 1903 à 1940; como era a convivência entre os boêmios seresteiros, como foram seus primeiros encontros com Américo Jacomino (Canhoto), o maior violonista do Brasil naquela época; Catullo da Paixão Cearense, Pixinguinha, Procópio Ferreira, Domingos Rubino, José Sampaio, Genézio Arruda, Antonio Russo, João Pernambuco e muitos outros, e como essas amizades se perpetuaram por toda sua vida.
Veremos ainda como nasceu sua primeira composição que ofereceu numa serenata à sua paixão platônica não correspondida. Veremos qual foi sua emoção ao fazer a primeira gravação e ouvir sua voz no gramofone; ao participar dos primeiros filmes falado brasileiros, e ainda se reconhecendo um perdulário, que “viveu para cantar e não cantou para viver”. Também relata uma parte do drama de sua vida na infância e juventude.
Neide acredita que está cumprindo um desejo de seu avô ao publicar o livro “Baú da Saudade”, porque em seu relato, Paraguassú se dirige diretamente aos seus “leitores”, e Neide apenas reproduzu “iptis litteres” o que ele escreveu, sem nenhuma emenda ou correção, e o leitor terá a impressão de ouvi-lo contar sua história, de um jeito peculiar e simples, a história de um jovem órfão e pobre que alcançou o apogeu da glória e da fama, apenas com a força da sua vocação.

Esta obra é um presente para todos os estudiosos e apreciadores da Música Popular Brasileira em seus “Anos Dourados”.

Dados técnicos:
TÍTULO:
Baú da Saudade
AUTOR: Paraguassú – organizadora Neide Lopes Ciarlarielllo
EDITORA: Matarazzo
IDIOMA: Português
ENCADERNAÇÃO: Brochura P&B. Papel couchê fosco 90gr/m².
ILUSTRADO: sim
FORMATO: 15,5 X 23 cm
PÁGINAS: 200
ANO DO COPYRIGHT: 2016
ANO DE EDIÇÃO: 2016
ISBN: 978-85-69167-24-2
EDIÇÃO: